MP de Bolsonaro corta pela metade reserva do governo para pagar seguro-desemprego

A Medida Provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta semana que muda as regras de saque do FGTS também alterou a maneira como o governo administra o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

FAT é a reserva do governo usada para custear benefícios como o seguro-desemprego e o abono do PIS. A mudança em questão corta pela metade o volume mínimo de reserva permitido por lei no fundo.

Até hoje, a lei exigia que o FAT tivesse sempre recursos suficientes para pagar seis meses de benefícios a todos os brasileiros com direito. Com a MP assinada nesta semana, a exigência cai pela metade.
Agora o governo só é obrigado a ter dinheiro para três meses de pagamentos, e não mais seis. Isso garante mais liberdade ao Estado para gerenciar recursos públicos sem incorrer em irresponsabilidade fiscal.

A MP que determina as mudanças tem efeito imediato, mas ainda pode ser alterada ou revogada quando passar pela aprovação do Congresso, o que só deve acontecer em agosto, com o fim do recesso do Poder Legislativo.

Com informações do UOL.

Publicado por Conect News AM

Professores licenciado em matemática, especialista em mídias para a educação e gestão escolar. Trabalha como repórter da Grupo Rede Amazônica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: